Adaptação Escolar |

3

fevereiro

2015

1º dia de aula – 02/02/2015

Categorias:

O Período da Adaptação

A entrada no Colégio Anglo  representa um importante momento para a família e para a criança. Esta, por sua vez, vai conviver em um novo ambiente, onde aprenderá a dividir espaços, brinquedos e afetos.

O papel do Colégio não é ser um substituto da mãe, mas suplementar e ampliar o papel que, nos primeiros anos da criança, só a mãe desempenha, estendendo os vínculos para além da família. Para a criança, o Colégio fornece oportunidades para uma profunda relação pessoal com outras pessoas, que não são os pais. Separar-se dos pais e ir para Escola é uma experiência intensa que envolve ganhos e perdas, exige e promove crescimento.

A criança que está  indo pela primeira vez à Educação Infantil não tem muita noção do que vai encontrar, apenas confia nos seus pais. Tem como referencial,  experiências anteriores de separação e a segurança de que ela fica sozinha por algum tempo mas eles retornam.

Algumas alterações em sua rotina também podem acontecer, independentes de a criança estar bem na Escola ou não, como: problemas alimentares, mudanças nos horários de sono ou mesmo demonstrações de ressentimento com os pais, manhas, birras e desafio de limites anteriormente estabelecidos. É esperado que mesmo os alunos que já frequentaram outra Escola ou o Anglo no ano anterior, reajam como se fosse sua primeira experiência.

Para auxiliar na adaptação dos alunos é importante que tenhamos presente que este é um momento especial para pais, alunos e professores, pois todos aguardam com expectativa o início das aulas.

Os pais na adaptação

Algumas “dicas” que podem ajudar:

* A segurança da família é decisiva para um bom andamento da adaptação;

* Estejam certos de que é este o momento de colocar seu filho na Escola;

* A vinda da criança para a Escola deve ser preparada; entretanto evite longas explicações, pois isso pode despertar suspeitas e insegurança;

* O choro na hora da separação é frequente e nem sempre significa que a criança não queira ficar na Escola;

* Evite comentários sobre adaptação e comportamentos em geral da criança na sua presença;

* Sejam breves na despedida;

* É necessário extremo cuidado com os horários. Um pequeno atraso na hora de vir buscar uma criança em fase de adaptação pode deixá-la insegura;

* Incentive o (a) seu (sua) filho (a) a procurar ajuda de sua professora quando necessitar algo, para que crie um vínculo afetivo com ela;

* Se os pais confiam no Colégio, sentirão segurança na separação e esse sentimento será transmitido à criança, que suportará melhor a nova situação;

* Evite interrogatórios sobre o dia da criança no ambiente escolar;

* Cuidado com a aparente adaptação. Os pais devem respeitar o período estabelecido pela professora e coordenação para evitar “regressões” mais tarde;

* Cada criança reage a seu modo e tem seu “tempo” de adaptação. Não se preocupe se o colega de seu filho já está adaptado e o seu ainda solicita sua presença;

* É preciso respeitar esse momento. Você pode (e deve!) participar desse dia-a-dia, conversando com a professora.

No Anglo, adotamos um sistema de carga horária reduzida visando facilitar este processo. A mãe (ou pessoa que fará a adaptação) permanecerá nas dependências do Colégio durante este período, propiciando o vínculo gradativo do aluno à professora.

Qualquer dúvida em relação ao Período de Adaptação de seu filho ou qualquer outro tipo de questionamento ou sugestão que ocorram durante o ano letivo, procurem o Setor de Psicologia ou a Direção da Escola. Nosso objetivo é trabalharmos juntos, buscando uma integração da família e da Escola.

Edilene – Coord. Pedagógica (Jan /2015)

13

janeiro

2014

Adaptação Escolar

Categorias:

ADAPTAÇÃO ESCOLAR

A primeira vez que uma criança vai à escola geralmente é um misto de alegria e ansiedade, tanto para a criança, como para os pais. Por este motivo pais devem tomar algumas medidas para tentar garantir que este seja um grande acontecimento que marque esta nova fase de socialização da vida da criança, de forma positiva. Em qualquer idade é necessário que os pais conheçam pessoalmente a escola, sua rotina, métodos e regras.                     

No caso de crianças menores que estão iniciando a vida escolar é aconselhável levá-las com antecedência para conhecer o local, sem que haja necessidade de dar-lhes muitas explicações. O objetivo nesta fase é observar seu interesse e reações diante da novidade.

É necessário que ela perceba que não está sendo deixada de lado pela mãe, mas que esta escolheu um lugar muito bom para ele brincar. O papel do professor e monitor é fundamental, pois são eles que vão atuar no processo de transferência e estabelecimento de vínculos.       

Neste início da vida escolar as crianças reagem de forma diferente uma das outras. As mais seguras costumam adaptar-se rapidamente; outras precisam aprender que a mãe sai, mas volta para buscá-la.            

A adaptação requer o autocontrole dos pais no sentido de passar segurança à criança, pois em muitos casos são eles os agentes desencadeadores do medo. O processo de adaptação da criança também o é para os pais que vão aprender a confiar e permitir que outra pessoa se responsabilize por seu filho; por este motivo o adaptar-se do adulto tem estreita ligação com a adaptação da criança na escola.

Quando os pais sentem culpa por deixar seus filhos pequenos sob os cuidados da instituição, ocorre uma demora no estabelecimento de vínculos entre criança e escola. 

Este período que varia de indivíduo para indivíduo pode prolongar-se até um mês, com alguns altos e baixos, devido ao intervalo do fim de semana. O choro e o medo podem voltar, porém isto não significará uma regressão. O processo todo é gradual, respeitando-se sempre o sentir da criança.

Algumas dicas que ajudam aos pais e filhos a superar o período de adaptação escolar:

1- A decisão de colocar seu filho na escola deve resultar de atitude pensada, consciente e segura;

2- A vinda da criança para a escola deve ser preparada; entretanto, evite longas explicações para ela, pois isso pode despertar suspeitas e insegurança;

3- A separação, apesar de necessária, é um processo doloroso tanto para a criança quanto para a mãe, mas é superado em pouco tempo; 

4- Cuidados devem ser tomados nesse período de adaptação para não coincidir momentos dolorosos como: troca recente de residência, retirada de chupeta, do peito ou fraldas, troca de mobília do quarto da criança, perda de parente próximo ou animalzinho de estimação;

5- O choro na hora da separação é frequente e nem sempre significa que a criança não queira ficar na escola;

6- A ausência do choro não significa que a criança não esteja sentindo a separação;

7- Evite comentários sobre a adaptação da criança em sua presença;

8- Cabe à mãe entregar a criança ao educador, colocando-a no chão, do lado de fora da escola e incentivando-a a ficar na escola, deixando que entre na escola com sua professora. Neste momento os pais devem dar tchau para a criança, dizer que voltam mais tarde para buscá-la e saem embora. Não retarde o momento da despedida, este deve ser rápido para que a criança não chore muito. Não é recomendável deixar o educador com o encargo de retirar a criança do colo da mãe; 

9- Nunca saia escondido de seu filho. Despeça-se naturalmente;

10- Incentive a criança a procurar a ajuda do seu educador quando necessitar algo, para que crie laço afetivo com ele;

11- Lembre-se que o educador atende às crianças em grupo, procurando distribuir sua atenção, igualmente, promovendo junto com a mãe a integração da criança;

12- Se os pais confiam na escola, sentirão segurança na separação e esse sentimento será transmitido à criança, que suportará melhor a nova situação;

13- O período de adaptação varia de criança para criança, é único e deve ser avaliado individualmente;

14- Evite dar recados para a professora na entrada, isso deixa a criança ansiosa;

15- Poderão ocorrer algumas regressões de comportamento durante o período de adaptação, assim como alguns sintomas psicossomáticos (febre, vômitos etc.);

16- Cuidado com a aparente adaptação. Os pais devem respeitar o período estabelecido pela escola;

17- Obedeça aos horários de entrada e saída. A criança que chega atrasada pode sentir-se deslocada. O atraso na saída pode criar fantasia que os pais não voltarão mais;

18 – Caso for opção da criança, deixe-a levar algum objeto de casa que goste. É uma forma de manter o vínculo com o ambiente familiar;

19 – Evite perguntá-la se deseja ir à escola, ela ainda não é capaz de decidir sozinha;

20 – A assimilação da rotina da escolar depende da assiduidade. O conhecimento desta rotina deixa a criança mais tranquila e segura. Evite ao máximo que seu filho falte à escola;

21- Converse com a criança, explique que no ambiente escolar ela terá amigos, atividades que não são possíveis em casa, que estará aprendendo a ler, escrever, desenhar, entre muitas outras atividades que só é possível na escola. Avise que quando chegar em casa vai querer ouvir tudo o que aprendeu e o que fez, como são e chamam os novos amigos que conheceu, as novas brincadeiras que participou. E o mais importante de tudo, que só vai ficar na escola por poucas horas que sempre a mamãe e ou papai vão buscá-lo;

22- A insegurança dos pais dificulta no processo de adaptação. Portanto, é importante comunicar claramente e sem mentiras como funciona a rotina da escola. Nunca deixe a impressão que está pedindo permissão à criança para deixá-la na escola;

23- Evite deixar a impressão que a criança vai perder qualquer atividade em família no período que a mesma está frequentando à escola, procure organizar os horários para que a criança possa participar da rotina familiar a qual já está acostumada.

VOLTA AS AULAS

O Colégio Anglo aproxima a criança ao meio escolar através de uma convivência gradativa com o meio social da escola, fazendo com que a criança tenha confiança no espaço a ser explorado juntamente com as pessoas que nele trabalham e finalmente a todo o grupo e rotina a ser seguida.

Na educação infantil devemos fazer com que a convivência escolar seja composta de momentos alegres, despertando a curiosidade e estimulando as descobertas, sempre respeitando a opinião de cada criança mostrando vários caminhos para melhor compreensão das atividades sugeridas em sala de aula como lições e trabalhos para casa.

Lembre-se sempre que seu filho existe para o mundo. A adaptação escolar é apenas o início de várias etapas de socialização com grupos fora do eixo familiar. Quanto mais cedo à criança é iniciada a convivência social, mas fácil será a sua adaptação, como seu progresso e facilidade de comunicação, convívio e aprendizado.

                                                    Direção/Coordenação