Lateralidade |

22

outubro

2013

Lateralidade

Categorias:

Lateralidade

 

A criança tem que se descobrir, assim a lateralidade vai surgir naturalmente.

Nas ultimas décadas, várias pesquisas científicas comprovaram o fato da existência do predomínio de um lado do corpo sobre o outro, como ocorre na dexteridade (mão e membros que usamos mais) não somente tem uma base neurofisiológica e neuroanatômica, mas também se generaliza para outras áreas das funções cerebrais.

lateralidadeO nosso cérebro é dividido em dois lados, um dos lados é responsável pelas ações motoras, que domina todas as atividades de mão, pé e olho, e o outro lado é sensorial. Isso se deve ao fato de termos em um dos hemisférios cerebrais, 90% da capacidade motora e 10% sensorial, e no outro hemisfério acontece o inverso, 90% da capacidade são sensoriais e 10% são motoras.

Segundo Le Bouch (1982), a lateralidade é a função da dominância, tendo um dos hemisférios à iniciativa da organização do ato motor. Esta habilidade no ser humano deve ser definida até os 7 anos de idade, pois a pessoa pode ser  destra, canhota, ambidestra, ter lateralidade cruzada ou ter lateralidade mal definida. Dentre as características acima, algumas são preocupantes, como veremos abaixo:

·                    Ambidestria: é considerada uma doença, pois se é científico que temos um lado dominante, se forçarmos o outro lado, podemos desorganizar a função cerebral, e o corpo reagir negativamente. O nosso corpo pede equilíbrio, e quando nos desorganizamos, ele atua com compensação.

·                    Lateralidade cruzada: é quando temos na parte superior a dominância de um lado e na parte inferior (pés) do outro (mão direita e pé esquerdo). Isso não é adequado, e geralmente é comum em crianças portadoras de disfunções psicomotoras.

·                    Lateralidade mal definida: é quando a pessoa usa um lado para atividades espontâneas e o outro para o grafismo, por exemplo. O lado motor tem que ser bem utilizado para qualquer tipo de atividade.

Em todos os três casos acima as crianças costumam ficar cansadas quando estimuladas tanto no ato da escrita quanto nos exercícios físicos, e estas são vistas muitas vezes como preguiçosas. Então, fique atento, pois além do cansaço, para Oliveira (2009) a criança também pode apresentar dificuldade em aprender a direção gráfica, dificuldade de coordenação motora fina, dificuldade de discriminação visual, perturbações afetivas e dificuldades de estruturação espacial.

As disfunções psicomotoras podem estar presentes na vida de muitas crianças, como ela vai evoluir dependerá diretamente do quanto ela for estimulada.

A lateralidade não deve ser imposta, a criança deve experimentar os dois lados sem interferências.

 

Referências bibliográficas:

LE BOULCH. O Desenvolvimento Psicomotor do Nascimento até os 6 anos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1982.

OLIVEIRA, G. C. Psicomotricidade: Educação e Reeducação num Enfoque Psicopedagógico. Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

 

297DRYELLE MARA RIBEIRO
Especializada Em Fisiologia Do Exercício – Prescrição De Exercícios Na Ugf-Rj
Licenciada Em Educação Física Pela Esc/Esefic-Sp
Treinamento Funcional Fase 1,2,3 E 4 Pelo Core 360


Comentário de caio

Olá, parabéns pelo texto.
Gostaria de tirar uma dúvida se for possível. Eu escrevo com a mão esquerda porém determinadas atividades manuais eu faço com a outra mão. além disso eu chuto com a perna direita. Será que eu posso ter a lateralidade cruzada?

    Comentário de escola486_leao

    Olá, Caio.
    Provavelmente você tenha uma lateralidade cruzada.
    Procure um profissional de Educação Física. Ele fará alguns testes que poderá comprovar a sua suspeita.

    Abraços!

Deixe o seu comentário: